Naatz defende fiscalização permanente de atos do governo durante calamidade

Facebook
Twitter
Pinterest

Mesmo em viagem fora do estado por questões familiares, o deputado e líder da bancada do PL, Ivan Naatz, encaminhou pedido, na sessão virtual desta última quarta-feira (22), de retirada do requerimento de convocação do secretário de Estado da Casa Civil, Douglas  Borba, para comparecer ao Parlamento. O objetivo era explicar versões controversas de participação de sua secretaria na licitação e contratação da Associação Hospital Psiquiátrico Espírita Mahtama Gandhi, de São Paulo, para implantação de um hospital de campanha em Itajaí dentro do plano de combate ao coronavírus, ao custo da ordem de R$ 76,5 milhões. Como a licitação e o contrato foram cancelados pelo governo, a convocação acabou perdendo seu objeto principal.

Mesmo assim, Ivan Naatz, que também chegou a ajuizar ação popular contra o procedimento na Vara da Fazenda Pública da Capital, observou que a fiscalização sob a nova opção de licitação anunciada pelo governo, de construção de outros 10 hospitais de campanha em diversas regiões do estado, também deve sob severa fiscalização do Parlamento, assim como os gastos públicos durante o Estado de Calamidade.

“Havia uma forte suspeita de fraude naquela licitação anterior. Na realidade, o governo só recuou diante da pressão, depois que subestimou a capacidade de fiscalização do Parlamento, dos demais poderes e do Ministério Público. Continuaremos atentos, cumprindo nossa missão”, afirmou.

Gostaria de Receber conteúdos exclusivOs?

*Sempre que sair conteúdo novo, será notificado