Naatz defende frente para evitar fechamento de hospital de Indaial

Facebook
Twitter
Pinterest

O deputado estadual Ivan Naatz (PV) voltou a criticar em plenário a decisão da Justiça Federal de autorizar o leilão do prédio do Hospital Beatriz Ramos, o único de Indaial, por causa de uma dívida com a União de R$ 1,7 milhão.

“Um fato inédito para o estado e para o Judiciário, a surpresa de determinação do leilão do Hospital Beatriz Ramos, de Indaial, um hospital filantrópico que serve a Indaial e cidades vizinhas, de vender para pagar dívida com a União, mas é a União que não reajusta a tabela SUS há mais de 15 anos, é a União que deve para o município de Indaial”, reagiu Naatz, que sugeriu a criação de uma frente parlamentar para evitar o fechamento do hospital que é estratégico também para o atendimento com urgência de vítimas de acidentes na BR- 470.

O parlamentar disse ainda que é público e notório que os hospitais de caráter filantrópico de Santa Catarina respondem por cerca de 70% dos atendimentos de saúde no Estado, mas enfrentam grandes dificuldades, principalmente com a tabela defasada de envio de recursos do SUS por parte do governo federal, o que faz acumular suas dívidas.

“Se não fossem esses hospitais, o Estado não tinha como atender a população. Então, a questão é quem está devendo para quem. A responsabilidade maior é da União, do governo federal para com a saúde pública da população”, reclamou.

Apoios

Durante o pronunciamento, o deputado Ivan Naatz recebeu o apoio de diversos colegas parlamentares. “Conte comigo na frente, a saúde é a mais ardida pauta de Santa Catarina”, justificou a deputada Paulinha (PDT). “Engrosso o coro, o hospital realiza atendimento dos acidentados na BR-470, é a União que deve para Indaial e para os mais de 5 mil municípios do país”, manifestou o deputado  Ricardo Alba (PSL).

“O hospital indo a leilão por causa de uma dívida de R$ 1,7 milhão, metade disso é juros, outra parte é multa, outra parte honorários dos procuradores. O hospital atende 5 mil pessoas por mês, 3 mil via SUS e dão apenas R$ 50 mil por mês, é impossível manter o hospital, está na hora da União colocar a mão na consciência”, sugeriu o deputado Ismael dos Santos (PSD).

Gostaria de Receber conteúdos exclusivOs?

*Sempre que sair conteúdo novo, será notificado