Relator da CPI convoca primeiros depoimentos nesta semana

Facebook
Twitter
Pinterest

Depois de acompanhar, no fim de semana, a divulgação dos resultados da “Operação Oxigênio” desenvolvida pela Força Tarefa envolvendo o Ministério Público, o Gaeco, a Policia Civil e o Tribunal de Contas do Estado dando conta que uma organização criminosa supostamente  estava atuando no governo do Estado no caso da compra com pagamento antecipado de R$ 33 milhões dos respiradores, o deputado Ivan Naatz (PL), proponente e relator da CPI dos Respiradores, que investiga o caso na Alesc, confirmou que vai apresentar requerimento, nesta terça-feira (12), solicitando ao MP e ao TCE o compartilhamento das informações obtidas nas investigações, incluindo cópia do inquérito que resultou nos mandados de busca e apreensão.

Assim como pretende contar e utilizar também as informações da Policia Civil, o objetivo do parlamentar é reforçar o trabalho em cooperação para que os poderes tenham um melhor e mais rápido resultado no esclarecimento do caso.

Depoimentos
O início dos trabalhos da CPI está previsto para esta terça-feira (12) no auditório Antonieta de Barros, da Alesc, a partir das 17 horas. Na primeira reunião os nove parlamentares integrantes deverão discutir e aprovar o roteiro geral dos trabalhos que deverão acontecer, inicialmente, todas as terças e quintas-feiras, além de diversos requerimentos de convocação para depoimentos de pessoas envolvidas com o caso em investigação.

Entre estas, o deputado e relator Ivan Naazt antecipou que pretende convocar já para a próxima reunião da quinta-feira (14) para prestar depoimento o gerente de Orçamento e Custos da Secretaria de  Estado da Saúde, José Hipolito da Silva, o ex-secretário Municipal de Saúde de Biguaçu e atual integrante da equipe da secretaria estadual  da área, Leandro Adriano de Barros; o secretári-adjunto da Casa Civil, Mateus Hoffmann; o Chefe da Defesa Civil do Estado, Cel BM João Batista Cordeiro Júnior, e a advogada da Biguaçu Mariana Rabello Petry. Objetivo é averiguar o sistema de funcionamento de licitação e compras do setor estadual da saúde e as ligações que teriam com o agora ex-secretário da Casa Civil, Douglas Borba, citado nas investigações.

“Operação Oxigênio”
As ações policiais que revelaram até agora um sofisticado esquema de fraude e corrupção agindo dentro e fora do governo reforçam nossa suspeita inicial e ainda mais a necessidade de se aprofundar as investigações , até porque todos os controles internos do governo falharam”, observa Ivan Naatz. O deputado acrescenta que o pagamento adiantado confirmou a fragilidade do sistema e que “alguém foi o responsável direto por este pagamento em conluio com os demais e isso envolve a corrupção de agentes públicos que deve ser apurada com a punição dos responsáveis pela ação e também pela omissão em denunciar as irregularidades.”

Aprovada historicamente por unanimidade dos deputados, a CPI dos Respiradores foi instalada no  dia 5 de maio último e tem como integrantes o presidente Sargento Lima (PSL), o vice-presidente Valdir Cobalchini (MDB), o relator Ivan Naatz, além dos membros Moacir Sopelsa (MDB), Felipe Estevão (PSL), João Amin (PP), Milton Hobus (PSD), Marcos Vieira (PSDB) e Fabiano da Luz (PT). O prazo regimental dos trabalhos é de até 120 dias, mas o relator Ivan Naatz já adiantou que prende concluir o relatório final bem antes, entre 60 e 70 dias.

 

Gostaria de Receber conteúdos exclusivOs?

*Sempre que sair conteúdo novo, será notificado