Naatz coordena missão de intercâmbio parlamentar ao Uruguai: documentação digital única em debate

Facebook
Twitter
Pinterest

Presidente do Bloco Brasileiro da União de Parlamentares do Mercosul – UPM, deputado Ivan Naatz (PL) coordenou missão da diretoria do colegiado nesta última semana em visita à sede do Parlamento do Mercosul – Parlasul, em Montevideo, Capital do Uruguai. Em pauta, a ampliação das relações bilaterais também na área legislativa -política. Um dos temas tratados e que deve ser ampliado por meio de encontros e seminários nos próximos meses em Santa Catarina é com relação aos documentos digitais de identidade e trânsito para circulação nas fronteiras entre os países no Mercosul, segundo Ivan Naatz.

Apesar de acordos recentes entre os países neste sentido, incluindo os certificados digitais comerciais , principalmente com  Argentina, Paraguai e Uruguai,  na prática, os brasileiros ainda tem encontrado dificuldades na validação e reconhecimento por parte das autoridades e fiscalização nas aduanas. Por isso , a discussão atual é em torno da necessidade de criação de um documento de padrão único para todos os países do Mercosul, o que envolverá também as autoridades diplomáticas do bloco. Os deputados estaduais catarinenses Fernando Krelling (MDB) e Rodrigo Minotto (PDT) também integram a  diretoria do bloco brasileiro e participaram da missão, assim como parlamentares de outros estados do país.

CORREDOR BIOCEÂNICO –  Na missão ao Parlasul , no Uruguai, a comitiva do Bloco Brasileiro da UPM também debateu o andamento das primeiras obras viárias no sentido de tornar realidade o chamado Corredor Bioceânico, um mega- projeto de infraestrutura rodoviária do Mercosul e que tem o objetivo de ligar a costa do oceano Pacífico no Chile com a costa atlântica no Brasil, com cerca de 2.200 quilômetros. O projeto vem sendo desenvolvido desde 2015 pelos governos da Argentina, Brasil, Paraguai e Chile para ligar os portos localizados no Oceano Pacífico ao porto da cidade brasileira de Santos.  ”

Essa nova rota de integração dos centros de distribuição de mercadorias deve encurtar em até oito mil quilômetros a distância percorrida hoje no transporte de cargas internacionais e, assim, reduzir os custos gerando novas oportunidades de negócios para toda a região envolvida”, Observa  Ivan Naatz . Atualmente, a única interligação entre os dois oceanos é por meio do Canal do Panamá .

Gostaria de Receber conteúdos exclusivOs?

*Sempre que sair conteúdo novo, será notificado