Deputado Naatz critica proibição da pesca industrial da tainha em 2023

Facebook
Twitter
Pinterest

O deputado Ivan Naatz registrou e lamentou em plenário da Assembleia Legislativa a decisão publicada nesta quarta-feira (1º) em uma portaria conjunta do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) e do Ministério do Meio Ambiente e Mudanças Climáticas (MMA) que não prevê nenhuma cota de captura da tainha para a modalidade de pesca industrial (cerco/traineira) para a safra deste ano que inicial no próximo mês de maio.

Segundo informações que o parlamentar recebeu de lideranças do Sindicato dos Armadores e das Indústrias da Pesca de Itajaí e região (Sindipi), diferente dos últimos anos, não houve possibilidade de participação do setor pesqueiro no processo de avaliação e recomendação do limite global de captura para as modalidades submetidas à gestão por cotas. “Decisão governamental lamentável que traz prejuízos à pesca industrial catarinense, segmento que representa o potencial do maior polo pesqueiro industrial do Brasil, e que responde por mais de 20 mil empregos diretos e indiretos”, afirmou.

Naatz informou ainda que o técnico e jurídico do Sindipi já está mobilizado e trabalhando nesta situação, acrescentado que o setor relata ter sido responsável pela pesca de somente pouco mais de 10% do total de tainha captura no Brasil em 2022. Ano passado, a cota total estabelecida foi de 1.430 toneladas distribuídas entre as modalidades de cerco/traineira (480t) e emalhe anilhado artesanal (950t).

Gostaria de Receber conteúdos exclusivOs?

*Sempre que sair conteúdo novo, será notificado