Naatz cobra protocolos unificados para setor de turismo na temporada

Facebook
Twitter
Pinterest

Segundo o parlamentar, há risco de quebradeira no setor de parques e águas termais, além do setor de eventos e hotelaria

O deputado Ivan Naatz (PL), que apresentou uma indicação na Alesc solicitando ao Estado a realização de um novo estudo técnico que permita a revisão de portaria e reabertura dos parques termais e  aquáticos, desde que observadas às medidas preventivas necessárias contra a Covid-19, voltou a cobrar, em plenário, uma posição e alinhamento do governo no setor de turismo com a chegada da temporada de verão.

O pedido é para que a portaria que regulamenta o funcionamento dos estabelecimentos seja flexibilizada. Segundo o parlamentar, a preocupação do segmento, que envolve também as estâncias termais do litoral, Vale do Itajaí e regiões como o Oeste e Meio Oeste, se agrava porque as restrições chegaram no início de dezembro, época em que os parques aquáticos começam a atrair visitantes e turistas.

A proibição está prevista em uma portaria editada em setembro pela Secretaria de Saúde de Santa Catarina, de acordo com os riscos regionais. Segundo Naatz, os empresários do setor contestam o fato de existirem dois pesos e duas medidas para atividades semelhantes, já que outra portaria, de junho, que regulamenta as atividades de praças, parques, locais de entretenimento e zoológicos estabelece restrições, incluindo redução da capacidade de público, mas não inibe o funcionamento de acordo com a classificação do nível de risco da Covid-19.

O deputado, que também é presidente da Comissão de Turismo e Meio Ambiente, esteve reunido nesta terça-feira (8) com o presidente da Santa Catarina Turismo – Santur, Leandro Mané Ferrari, para tratar do tema e ainda sobre a questão de um protocolo unificado e flexibilizado para a retomada segura do setor de turismo, hotelaria e eventos no estado que sofre com a perda de faturamento e desemprego. “Se não conseguirem reabrir muitos parques vão quebrar, assim como muitos outros empreendimentos e eventos que dependem da temporada de verão”, afirmou, acrescentando ainda haver falta de sintonia entre as autoridades e técnicos do turismo com os da área de saúde do estado.

“É até compreensível que cada um está tentando fazer sua parte, mas é preciso haver mais diálogo com a sociedade, sintonia e ações coordenadas de segurança sanitária do governo sob risco de se comprometer a economia, empregos e arrecadação”, afirmou. Naatz disse que a Comissão de Turismo e Meio Ambiente da Alesc continuará fazendo a sua parte para ampliar o debate sobre o tema e novas reuniões estão programadas para esta e a próxima semana com representantes do governo do trade turístico catarinense.

Gostaria de Receber conteúdos exclusivOs?

*Sempre que sair conteúdo novo, será notificado